Pesquisar este blog

quarta-feira, 15 de junho de 2011

CONDROMALÁCIA, A EPIDEMIA

Pilateiros queridos do meu coração... Hoje o post vem aflorado pela minha porção "professora"...



Não a professora de pilates, como a maioria pode me ver, mas como a professora lá da faculdade. Não sei se todos sabem, alguns eu sei que sim, mas além de cuidar do Studio, eu também leciono no curso de Fisioterapia da Anhanguera (assim como minha sócia, Simara e também a fisioterapeuta da noite, a Fê, que dá aula na Unip).

Minha disciplina é a Fisioterapia aplicada a Ortopedia, e eu simplismente AMO o ambiente da faculdade, ensinar, ver os alunos aprendendo e evoluindo.  Amo também o dinamismo de um ambiente universitário, com alunos sedentos de conhecimentos, e cuja situação nos obriga a estudar SEMPRE, a nos ATUALIZAR sempre, diariamente...

Ai de mim se não ver um "globo esporte" na hora do almoço para comentar a lesão recém adquirida de um jogador da seleção a noite com eles... Mas enfim!  O tema da aula, ops, do post de hoje é CONDROMALÁCIA.

Ao pé da letra, "condromalácia" significa "amolecimento da cartilagem". Mas apesar de popular, esse é um nome incompleto. Acontece muito mais do que um simples amolecimento. Isso é apenas uma das alterações que  podem acometer a cartilagem. Portanto, o termo correto é "condropatia". Ou seja, é uma patologia, uma doença que acomete e degenera a cartilagem.  É uma definição mais adequada, apesar de menos usada.
Vejam a ilustração na figura abaixo.





A  cartilagem do joelho fica entre o fêmur e a patela. Notem nessas 2 imagens de ressonância magnética, que existe um espaço fisiológico entre esses ossos.

 Na foto da esquerda, o contorno branco, apontado pela seta, é regular e contínuo, o que indica uma cartilagem sadia. Já na foto da direita, há uma área mais "acessa", que demonstra que há uma lesão, há uma condropatia patelar instalada, apontada pela outra seta.

Não sei se os leitores conseguiram ver, mas para mim é gritante. E ai dos meus alunos se não for para eles...Rs! Brincadeira... Mas é importante para eles saberem ver esse tipo de exame com facilidade.

E o que mais acompanha a degeneração da cartilagem??? Vejam o quadro clínico:

-  DOR aos movimentos com carga, ou seja, em pé
- Edema local, geralmente supra e infra patelar (acima e abaixo da patela)
-  Crepitação (barulho semelhante a como se houvesse "areia" dentro dos joelhos)
- Hipotrofia muscular, em decorrência da diminuição do uso (como já disse aqui, hipotrofia ≠ hipotonia, viu,"GENTE")
-  Perda de função, ou seja, dificuldade em situações como descer escadas e rampas, já que quem freia esse movimento é o quadríceps, e ele está hipotrofiado


Existem diversos tratamentos para a condromalácia, porém, não é possível reverter o desgaste já sofrido. Imaginem que você gastou o pneu do carro. Se vc parar de andar com ele, ele não gasta mais. Porém, nada o fará voltar a ser novo. Você pode até substituí-lo, mas nunca "regenerá-lo". Com o joelho é a mesma coisa. Você pode substituí-lo um dia. Ou seja... Colocar uma prótese. Mas isso é agressivo demais, e só se usa em casos de artrose avançada, não de condromalácia.

ENTÃO O QUE FAZER PARA PRESERVAR O RESTANTE DE CARTILAGEM QUE ESTÁ ÍNTEGRO DENTRO DE VOCÊ?

- Tomar um medicamento condroprotetor, recomendado pelo seu ortopedista. No caso, esse remédio tem o princípio de evitar que mais desgaste aconteça. Porém, ele não é analgésico, anti-inflamatório, nada... Mesmo porque não há um processo inflamatório instalado, e sim um processo degenerativo.

- Eliminar o mecanismo causador, que tem que ser avaliado individualmente. Pode ser encurtamento muscular, desequilibrio a parte interna e externa da coxa, excesso de peso,  dentre outras. Só o seu fisioterapeuta pode apontar qual é a causa disso.

- Se o caso for desequilíbrio ou encurtamento muscular, e a pessoa ainda estiver acima do peso (o que é bem comum), o PILATES é a solução: Conseguimos fortalecer a musculatura sem causar mais impacto na articulação. Como vocês já sabem, o PILATES oferece resistência por meio de molas, e não de "carga compressiva". E alongamento também, conquista-se com sucesso no pilates.







- Sempre recomendamos aliar o trabalho do ortopedista e do fisioterapeuta a uma reeducação alimentar com nutricionista, porque aí sim, o sucesso é garantido.

E se tudo isso for feito, consegue-se evitar o procedimento cirúrgico para tratar a condromalácia. Neste procedimento, chamado de artroscopia, quando necessário, faz-se uma "abrasão" na cartilagem machucada, deixando apenas a parte íntegra. E infelizmente, em casos mais graves pode ser necessário.

Por fim! Por que o título "condromalácia, a EPIDEMIA???"

 Ora, isso é fácil. Cada vez aumenta mais a parcela da população com essa doença, por vários fatores: obesidade, sedentarismo, mau uso... Mas principalmente, porque duramos mais! Porque vivemos mais!!! Então gastamos o corpo, a articulação! Assim como gasta o pneu do carro muito usado.


A sua avó pode dizer até que na época dela ninguém tinha condromalácia. Claro! As pessoas pegavam pneumonia, tétano, catapora, e iam a óbito antes dos 30 anos! Como poderiam gastar a cartilagem? Não viviam o suficiente para isso!



Então galera... Não reclamem tanto. Vamos nos cuidar, para demorar para ter condromalácia, rs!

Bjos da Ciça.

O post foi loooongo, mas espero que esclarecedor. Estou a disposição para tirar dúvidas!

PS: Nas fotos de pilates 1) fortalecimento no reformer 2) alongamento no TRX Pilates. Modelo: Fefa.

8 comentários:

  1. Que saudades!!!
    Só vc mesmo prá dar uma aula com tanto humor... parece até que estou ouvindo vc falar... tão dedicada e competente!
    Eu que sou só curiosa adorei as explicações, babei nas fotos com modelitos preto e branco e morri de inveja dessas pessoas tão ágeis e elegantes.
    Bjks

    ResponderExcluir
  2. Saudades ENORME, amiga!!!
    Volta pra mim!!! rsrsr!!
    bjooo

    PS: minhas aulas são divertidas sim, senão não motivo os alunos... Imagina trabalhar o dia inteiro e a noite ouvir uma professora desanimada falar?? Eles não merecem... Tem que ser clara, porém com um "quê" motivador...rsrsr!

    ResponderExcluir
  3. Simara e Cínthia.


    Esse bote da hipotrofia da sua fã vai ficar para sempre em nossas memórias.

    Que pena que nem todas suas alunas souberam aproveitar as professoras MARAVILHOSAS que tiveram.

    E não dá pra falar nem que é pela cor do cabelo, pq o cabelo é PINTADOOOOOOOOOOO!!!

    Ai que dó...

    Ela vai impipocar.

    ResponderExcluir
  4. Olá...
    Gostaria de trocar informações sobre este quadro. Apesar dos meus 32 anos, venho sofrendo com a Condropatia. No meu caso há outros complicadores: sou portador de Osteomielite Crônica na tíbia D. (próximo à junção com o fêmur - joelho) além da condropatia, recentemente o Rx mostrou um processo ósseo chamado Osteofitos, segundo meu ortopedista, no joelho esquerdo. Vivo à base de antinflamatórios, pois pode imaginar as dores. Para finalizar, ainda tenho uma acentuada perda de massa muscular em ambas as pernas... "e pulso ainda pulsa"... rs
    O pilates pode me ajudar? ando meio sem respostas do meu ortopedista e além das dores, perco muito minha qualidade de vida!

    Um abraço e desde já agradeço!

    ResponderExcluir
  5. MUITO OBRIGADO QUANDO ACHEI QUE ESTAVA ARRASANDO FAZENDO AGACHAMENTO COM 160KG NAO TINHA IDEIA DO QUE ESTAVA SOFRENDO, MAS SE MEUS AVALIADORES TIVESSEM VISTO QUE EU JA TINHA UMA CONSIDERAVEL DIFERENÇA DE VOLUME EM RELAÇÃO A MUSCULADURA DAS PERNAS JA PODERIAM TER ME ORIENTADO, MAS A CULPA TODA E MINHA ENTAO, OBRIGADO PELO POST TENHO SIM CONDROPATIA E EM GRAU IV....POIS E TA CADA VEZ PIOR....VOLTAREI A FISIOTERAPIA E SUPLEMENTANDO COM GLUCOSAMINA (ELASTI JOINT).

    ResponderExcluir
  6. ola sou douglas tenho condromalacia patelar grau 1 gostaria de saber se posso jogar futebol normalmente seguindo processos de fortalecimento ,minha paixao e jogar nao qurria parar tenho 25 anos

    ResponderExcluir
  7. fora o encomodo ao ficar sentado,fico odia todo ,e monhas dores encomodam todos os dias tenho medo de ter passado para o grau 2
    douglas

    ResponderExcluir
  8. Olá, adorei a matéria. Foi explicada de forma simples, porém bem objetiva.
    Ontem, acabei de saber que estou com condropatia patelar, muito provavelmente decorrente a grande carga que vinha pegando nas aulas de musculação. :(

    Agora, venho buscando na internet explicações melhores para entender exatamente o que é isso e quais tipos de exercícios posso fazer e quais não posso. Daí, eis a minha grande dúvida: será que nunca mais vou poder fazer caminhadas, andar de esteira, fazer musculação, senão irei estar agravando a situação?

    ResponderExcluir