Pesquisar este blog

sábado, 30 de julho de 2011

HÉRNIA DE DISCO. Tratamentos possíveis. Parte 3

Último post sobre nossa  (ini) miga, hérnia de disco. Será que vocês aguentam mais um???
O que interessa, certamente, é como tratar a hérnia de disco já adquirida.
E o tratamento correto vai depender diretamente de quão grave está o quadro, ou seja, o quanto os sintomas estão incomodando o indivíduo.

Se a pessoa tem apenas uma protusão de disco (que você já aprendeu aqui o que é), pode tratar dessa protusão com o objetivo de não deixa-la evoluir. Como??

1) ELIMINANDO O MECANISMO CAUSADOR
Se foi um acidente, passe imeditamente para o item 2. Se não foi, como na maioria dos casos, para eliminar o mecanismo causador, provavelmente você precise da dobradinha "perder peso e adequar seu posto de trabalho".  É relativamente uma solução simples. Porém, muitos não estão dispostos a segui-la... O que eu já ouvi de comentários assim: "mas tem tantos gordinhos sedentários que não tem hérnia!!!!!!!!!!". A minha reposta é a seguinte: " Do mesmo jeito, tem tantos fumantes que não tiveram (ainda) câncer de pulmão!!!!".  Acorda, gente. É simples, basta querer.

2) FORTALECENDO OS MÚSCULOS CONTENSORES DA COLUNA: 
A coluna é uma pilha de ossos. Como contê-la? Com uma parede de músculos anteriores (os badalados abdominais) e posteriores (os paravertebrais).  Para manter a coluna protegida por uma casa de músculos, temos que fortalecer a tão famosas "casa de força", ou "powerhouse". Para isso, podemos iniciar com exercícios simples e ir progredindo conforme a evolução particular de cada um. De brinde, ainda é esteticamente agradável  ter uma barriguinha sarada. Ou alguém discorda??

Fortalecimento de abdominais com Bola



Fortalecimento de paravertebrais com Bola


3) ELIMINAR OS VÍCIOS POSTURAIS:
Isso pode ser feito por meio de diversas técnicas, como o RPG e o Pilates. Eu recomendo, nos momentos de crise, particularmente o RPG, que é mais passivo. Porém, este método não promove fortalecimento muscular. Assim que a dor for eliminada nos movimentos ativos, pode-se preconizar o Pilates, para fortalecer a casa de força.



Gente, isso é para todos os casos. Sejam eles tratados conservadoramente (ou seja, sem cirurgia) ou cirurgicamente, pois após a cirurgia, é essencial que não se adquira uma nova hérnia.

Dentre os procedimentos cirúrgicos existentes, podemos destacar 2: Um minimamente invasivo, a artroscopia, e outro um pouco mais invasivo, a fixação (artrodese) da coluna.

ARTROSCOPIA DA COLUNA:

É necessária quando o material herniado comprime a medula, ou a raiz nervosa. Este material é um corpo estranho que ocupa um local não pertencente a ele. Então, fisicamente, é impossível tratar isso com remédio ou fisioterapia. Nenhuma dessas duas opções é capaz de empurrar o material herniado para dentro do disco de novo. Então, a solução é retirar esse material.

A  cirurgia é feita por vídeo, com o paciente em decúbito ventral (ou seja, de bruços). O médico introduz a micro-câmera e o instrumento para retirada da hérnia por um pequeno furinho nas costas. Retira o material e pronto. A cirurgia acabou. O médico a conduz olhando para uma televisão, onde a imagem interna é mostrada, e não para o paciente.

É considerada minimamente invasiva porque o acesso é mínimo, não tem cortes. Apenas o furinho de acesso para o artroscópio. Veja ilustração abaixo.



ARTRODESE DA COLUNA:

"Artrodesar" significa fixar uma articulação. E é isso que é feito nessa cirurgia.
O médico fixa o segmento que tem a hérnia, com parafusos e hastes, para que este segmento, apesar de rígido, a partir de agora, nunca mais comprima o disco e consequentemente, pince a inervação ao redor. É agressivo porque bloqueia definitivamente um segmento. Mas, também garante que nunca mais esse segmento terá seu espaço diminuído. Veja abaixo RX e ilustração disso:



Resumo de tudo isso?

Cuide com carinho da sua coluna. Você precisa MUITO dela, então viva e conviva bem com ela.
Bom fds a todos.
E JUÍZO!!! aos que estão precisando.


HÉRNIA DE DISCO. Causas e Sintomas. Parte 2

No segundo post sobre a hérnia de disco, iremos nos aprofundar um pouco mais....

Quais as causas da hérnia de disco?

Certamente, por sobrecargas que o disco não pode surportar. Pode-se adquirir uma hérnia bruscamente, após uma queda, um acidente automobilístico, ou após um esforço brusco e mal feito, como erguer uma carga maior que se é capaz de suportar... Ou, também, lentamente, por excesso de mau uso repetitivo. Seja por:

- obesidade, (imagina a sobrecarga de 10, 20, ou 30 kg a mais em você, diariamente, e a sua coluna tendo que suportar???)



- Muito tempo na postura sentada, devido ao trabalho:

Há estudos que comprovaram que a maior sobrecarga na coluna, ao nível L3, ocorre na postura sentada (comparando-a à postura em pé, deitada, etc, conforme podem observar no gráfico abaixo). E a sobrecarga aumenta mais ainda se você permanece sentado com o tronco projetado para frente.





E quais os sintomas???

Depende da inervação "pinçada" pela hérnia. Cada nervo é responsável por uma área determinada do corpo. Isso inclui motricidade (movimentos) e sensibilidade (tátil e dolorosa). Portanto, dependendo do nível que a hérnia acontece, é o sintoma característico. Geralmente eles são: dor (de intensidade variável), parestesia (formigamento) e até perda da função.






Abaixo, para ilustrar, segue um mapa da inervação correspondente a área afetada. É bem fácil descobrir qual o segmento afetado, mesmo sem exames de ressonância magnética. Basta determinar o trajeto da dor, e a inervação correspondente.



Mais, uma vez, vamos por partes. Muita informação por hoje. O próximo e último post sobre o assunto será sobre a parte mais interessante: como é o tratamento! :)
Bjos!

segunda-feira, 25 de julho de 2011

HÉRNIA DE DISCO. O QUE É? Parte 1

Essa postagem é sobre um assunto que todos já ouviram falar: a famosa "hérnia de disco".
Porém, antes de entender a doença, quero que vocês aprendam como é um disco saudável.

O disco é uma estrutura que existe entre as vértebras. Tem a mesma função do "amortecedor" dos carros, ou seja, absorve e dissipa impactos aos quais estamos sujeitos no dia a dia. Ex: nosso próprio peso, o impacto das posturas sentada, em pé, da prática de esportes, etc.
Veja na foto abaixo, as estruturas em azul representam o disco visto entre as vértebras.



Já na figura baixo, pode-se vizualizar o disco internamente. Anatomicamente, ele tem 2 partes principais: o ânulo fibroso, mais externo e rígido, e o núcleo pulposo, uma espécie de material gelatinoso, contida pelo ânulo. A comparação simbólica clássica do disco, é com um chiclete Bubaloo. Mais denso por fora, e com um "recheio" líquido.


Agora, pensem em apertar suavemente o chiclete, de forma que ele se deforme, porém não vaze. Quando isso acontece no disco intervertebral, temos apenas uma "protusão discal". Ou um abaulamento do disco, outro termo comumente usado. Isso não é hérnia. Ainda. Mas, pode torna-se. O disco pode vazar, herniar, como o líquido dentro do Bubaloo, caso a pressão sobre ele aumente. E aí temos a clássica hérnia de disco.

Veja nesta imagem de ressonância magnética, uma coluna lombo-sacra de perfil. Os discos vertebrais superiores estão íntegros, porém, a nível de L5 S1 há um claro estravazamento, vemos uma hérnia de disco.


Mas quais as causas disso?
Como evitá las ???
Quais as consequências?????

São muitas informações, vamos por partes,(como diria, Jack). Quero que vocês digiram essas informações iniciais primeiro. E nos próximos posts, explico o que falta.
Bjs

Ciça

quinta-feira, 21 de julho de 2011

BELEZA PURA = TRX + PILATES








Juliana Paes queria ser menos... gostosa. Parece mentira, né? Com o corpo super em forma depois da gravidez de Pedro, a atriz diz que não malha para ficar forte, porque, na verdade, queria era ser menos, digamos, voluptuosa. “Se eu pudesse secar um pouquinho... Esse negócio de ficar gostosa não é comigo”, diz ela, rindo.

* A atriz, aliás, investe num tipo específico de exercício físico, o TRX. Já falamos dele aqui e aqui, mas Juliana explica: “Tem os princípios do pilates, mas é com cordas e trabalha com o peso do próprio corpo”. Ela mesma faz aulas duas vezes por semana, além de correr orientada pela mesma personal há seis anos.

* “Não gosto de puxar ferro, sabe? Meu objetivo não é ficar sarada, é ganhar tônus, pra ficar durinha”, conta. E termina com um sorrisão: “Já se foi o tempo em que eu pensava: ‘Quero ser isso, quero ser aquilo...’. Hoje em dia eu quero é ser feliz”.


Fonte: www.glamurama.com.br/notas

quarta-feira, 13 de julho de 2011